Show simple item record

dc.contributor.advisorPereira, Ivânio Alves
dc.contributor.authorRibas, Gabriela Amaral
dc.coverage.spatialPalhoçapt_BR
dc.date.accessioned2019-06-26T22:50:51Z
dc.date.available2019-06-26T22:50:51Z
dc.date.issued2019pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.riuni.unisul.br/handle/12345/7244
dc.description.abstractIntrodução: Artrite Reumatoide (AR), é uma doença sistêmica crônica de caráter autoimune que gera progressiva destruição osteoarticular e está associada a comorbidades. Pacientes com AR tendem a ter maior índice de hospitalizações e taxa de sobrevida diminuída devido ao fato de possuir muitos eventos cardiovasculares secundários ao maior número de comorbidades e inflamação sistêmica relacionadas a doença. Objetivo do estudo é analisar a associação entre a presença de comorbidades em pacientes com AR, com os parâmetros clínicos e laboratoriais da doença. Método: Estudo observacional transversal realizado por meio de coleta de banco de dados eletrônico. Uma amostra de 1116 pacientes atendidos em serviços de referência em reumatologia foi selecionada por conveniência de acordo com os critérios de classificação ACR 1987 ou do ACR/EULAR 2010. A associação entre as comorbidades cardiovasculares e as características clínicas e parâmetros laboratoriais da AR foi avaliada por meio de testes de hipóteses qui-quadrado, correlações e teste t de Student, exato de Fisher e ANOVA com escore de Charlson. Como teste post-hoc foi utilizado o teste de Bonferoni. Foram consideradas estatisticamente significativas as diferenças quando valor de p ≤ 0,05. Resultados: 89% dos pacientes eram do sexo feminino, com idade média de 58 anos. 38% tinham 1º grau incompleto e 51% praticavam atividade física irregularmente. 62% dos pacientes com AR apresentaram comorbidades, sendo hipertensão arterial sistêmica a mais prevalente. Houve significância estatística quando analisado a associação entre comorbidades com idade (p<0,001), menor nível educacional (p<0,001), menor frequência de atividade física (p<0,001), duração da doença (p<0,001), nível de anti-CCP (p=0,027), clinical disease activitiy index (CDAI) (p<0,001), DAS28VHS (p=0,008) e escore HAQ (p<0,001). Conclusão: Em pacientes com AR encontra-se grande prevalência de comorbidades cardiovasculares. Foi encontrado a associação significativa entre a presença de comorbidades e idade, assim como o tempo de duração da doença e anti-CCP. Foi observado também valores de significância quando associado comorbidades com menor nível educacional, menor frequência de atividade física, CDAI, HAQ e escore DAS28VHS à presença de comorbidades em AR.pt_BR
dc.format.extent27 f.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofMedicina - Pedra Brancapt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectArtrite reumatoidept_BR
dc.subjectComorbidadespt_BR
dc.subjectCardiovascularpt_BR
dc.titleAnálise da associação das comorbidades em artrite reumatoide com parâmetros clínicos e laboratoriais da doençapt_BR
dc.typeArtigo Científicopt_BR
dc.subject.areaCiências da Saúdept_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Except where otherwise noted, this item's license is described as Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil

Mantido pela
Unisul
Plataforma
DSpace
Desenvolvido por
Digital Libraries
Licenciamento
Creative Commons